domingo, 10 de junho de 2012

Haziel-Parte IX



Abriu os olhos assustada, uma brisa suave tocava seu rosto e o ar cheirava a violeta. _Onde estou?-pensou. Sua cabeça latejava levemente e sentia um gosto horrível na boca. Sentou-se devagar, levando a mão aos olhos para cobrir a claridade, estava na praia. Recordava-se da noite passada, depois de beber um pouco, acabou na praia onde adormeceu na areia.
O cabelo desgrenhado estava sobre seu rosto, puxou o elástico do pulso e o prendeu em um rabo. Mirou o oceano, as ondas indo e vindo num ritmo suave, o mar estava totalmente calmo. Gaivotas planavam em busca de alimento. O sol pairava no céu sem nuvens.
Joana suspiro fundo. Estava cansada de fugir. Levantou-se sacudindo a areia da roupa, seria uma boa caminhada até em casa.
 A casa de Alberto e Aline. -pensou ela.

_Olha quem resolveu aparecer! –Aline estava deitada no sofá lendo quando Joana entrou. Pelo tom sarcástico de sua voz não estava nada contente.
_Precisamos conversar Aline.
_Estou muito ocupada agora!
Parada ao lado do sofá, encarando a amiga com os braços cruzados no peito em sinal de defesa, Joana enxugou uma lágrima que correu por sua face. Sentia-se exausta, mas queria dizer a Aline o quanto a amava.
_Eu te amo. Você não é somente uma amiga, mas também é uma irmã. Não quero mais fugir de você.
Nesse momento Aline fechou o livro e fitou Joana, que secava as lágrimas que desciam. Abriu os braços e num gesto de cabeça, chamou Joana para seu colo. Ambas se abraçaram.
Num soluço rouco e profundo, Joana deixou que viesse em torrentes toda dor que havia guardado durante todos aqueles meses e num piscar de olhos viu o último olhar do irmão, o olhar de preocupação que Alberto lançou a ela antes de morrer, ele temeu por ela. Então soube, que Alberto a amava e não havia morrido com raiva dela.
Ela se odiou e odiou o fato de ter sobrevivido, mas principalmente odiou a indiferença do pai. A culpa que ele lhe atribuiu.

Cinco dias depois.
Ela o avistou, ele estava sentado na areia, olhava intensamente o mar, uma leve brisa vinha com as ondas e o sol suavemente tocava o seu rosto. Sabia que o encontraria aqui, no mesmo lugar em que se beijaram. Ao se aproximar dele, sentiu um leve aroma de violeta. Parecia tão familiar. Sentia-se voltando pra casa.
Se ele percebeu sua aproximação, nada demonstrou. Imóvel, fixo, assim ele permaneceu.
Joana sentou ao seu lado e por alguns instantes ficou também imóvel fitando o mesmo mar que Haziel fitava, seu coração selvagem pulava dentro do peito, pedindo loucamente pra fugir.
A respiração irregular. Suas mãos tremiam e todo seu corpo vibrava. Como seu corpo podia responder assim a presença dele?
Será que ele sabia o efeito que causava?
Ela buscou sua mão, segurando-a. Levemente, como se ele a estivesse aguardando, ele a encarou, os grandes olhos castanhos mel encarando-a amorosamente. Naquele momento, ela soube que já não podia ficar longe dele e que todos os seus temores se tornariam reais, por que já o amava e temia mais que tudo perde-lo.
O sol ia se despedindo, o entardecer laranja avermelhado anunciando a noite. As ondas do mar ecoando ao longe nas pedras e a brisa salgada e suave soprando.
Se inclinando pra ele, ela o beijou, seu hálito quente e doce a deixaram inebriada e tonta. Aprofundou o beijo, segurando-o levemente pela nuca.
Recuou um pouco e tomando fôlego disse com a voz rouca e trêmula: _Não vou a lugar nenhum...

                                
Continua...
Anita dos Anjos


“A melhor parte do amor é perder todo senso da realidade.”


8 comentários:

  1. Amo amo essa historia *-*. Fiquei feliz ao ver que você atualizou.
    Saudade de você Anita. Que foi que anda tão sumida? Espero que esteja tudo bem :)

    Bjokas

    ResponderExcluir
  2. To bastante atrasado, tenho muito p ler aqui... mas vc anjo, desapareceu... por onde voas? Esqueceu-se de mim? rs Um abraço, um bjo, pois nesses dias, abraços e bjos sinceros valem mais que muito ouro (ou será q sempre valeram?) . Bjo!

    ResponderExcluir
  3. Amiga! Anita, onde você está? Tempos e tempos, espero uma visitinha sua! Olha mais um romance daqueles que só você, sensivelmente sabe escrever! Destaco trechos bem poéticos:
    "Ela o avistou, ele estava sentado na areia, olhava intensamente o mar, uma leve brisa vinha com as ondas e o sol suavemente tocava o seu rosto."

    Bjão!

    ResponderExcluir
  4. Oi Anjo, fico muitoooo feliz de saber que não abandonar o conto *-*
    E pode ficar tranquila que eu vou cobrar..kkkkkk

    Obrigada pela visita

    bjoss :)

    ResponderExcluir
  5. Lindona ! amei seu cantinho
    to seguindo tá ?!
    Obrigada pela visita
    Beijinhos *_*

    ResponderExcluir
  6. Oi linda, que saudade de você. Saudades desse espaço, voltei para deixar um abraço meu e do nosso poeta Marcos Alderico, ok? Ainda não li o teu conto, mas vou parar para ler e comentá-lo.

    Beijocas.

    Auxiliadora

    ResponderExcluir
  7. Anita... bom conversar com vc novamente. Vou ler o blog todo depois te falo o que achei. Voce faz jus ao seu sobrenome :) Bjos

    ResponderExcluir
  8. Oiie Anjo sumida... saudade de ti... separa um tempinho ai para nós :)

    Aproveitando gostaria de lhe oferecer um selinho de agradecimento e convidar para conhecer a "mascote" do blog. :)

    Então quando tiver um tempinho passa lá no blog

    http://mundodeisia.blogspot.com.br/2012/07/mundo-de-isia-20.html

    Super Abraço
    bjos

    ResponderExcluir

Comentários: combustível do blogueiro!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...